Spacey Recommends – Lori Amethista

ūüĆź Translation in progress

Lori Amethista é escritor, não-binário e aroace, e busca sempre trazer representatividade em sua escrita.

Ele é branco com o cabelo castanho escuro repartido para a direita. Usa uma roupa toda preta, sendo uma camiseta, uma luva arrastão e uma choker, e possui uma tatuagem de coração no colo do peito. Encara a direita de rabo de olho e apoia a mão no rosto, usando um delineado e um batom marrom.

“√Āguas de Esperan√ßa, por exemplo, eu trabalho muito a tem√°tica da autodescoberta e da sensa√ß√£o de isolamento, a parte solit√°ria que muites passamos.”
‚ÄĒ Lori Amethista

Primeiramente, quem é Lori Amethista?

Ol√°! Meu nome √© Lori, assino com alguns nomes por a√≠, sendo Lori A. para textos de n√£o fic√ß√£o e L. Amethista para hist√≥rias de fic√ß√£o. Sou uma pessoa aroace e ag√™nero de 21 anos e uso todos os pronomes. Sou estudante de psicologia na UERJ, tendo uma paix√£o especial por hist√≥ria da psicologia (e por isso tamb√©m estou sempre pesquisando de forma aut√īnoma sobre a hist√≥ria da assexualidade) e fa√ßo parte do coletivo Aroaceiros e da Rede de estudantes trans e travestis da UERJ. Quando me sobra tempo livre, escrevo livros com representatividade LGBTQIA+, dando aten√ß√£o especial para a letrinha A, ainda t√£o subrepresentada.

Seus contos sempre tem representatividade ace ou aro. Isso é algo que você faz conscientemente ou é algo que você escreve por ser a sua vivência?

Um pouco dos dois, provavelmente. Hoje em dia eu acho curioso olhar para outras hist√≥rias que escrevi no passado e perceber que aqueles personagens poderiam ser facilmente descritos como aro e/ou ace, pela viv√™ncia mesmo. Mas, atualmente, eu diria que fa√ßo isso bem conscientemente mesmo. Geralmente, antes mesmo de come√ßar o conto, penso o que eu quero trabalhar naquela hist√≥ria, quais aspectos da viv√™ncia eu quero dar enfoque e qual reflex√£o eu quero levantar no leitor. √Āguas de Esperan√ßa, por exemplo, eu trabalho muito a tem√°tica da autodescoberta e da sensa√ß√£o de isolamento, a parte solit√°ria que muites passamos. J√° em Festa de Halloween, eu quis abordar a quest√£o da rela√ß√£o de pessoas ace com as pr√°ticas e conte√ļdos sexuais e a possibilidades de fluidez da viv√™ncia.

Voc√™ lan√ßou na √ļltima semana ace, em 29 de outubro, o “Festa De Halloween”. Sobre o que √© esse conto?

Festa de Halloween, como eu falei anteriormente, √© uma hist√≥ria na qual eu quis abordar essa quest√£o da assexualidade em rela√ß√£o com o sexo em si. O enredo em si consiste em Ange, um jovem ace estrito que n√£o sabe bem como se sente em rela√ß√£o a sexo e relacionamentos, at√© que encontra um caderno de seu melhor amigo de inf√Ęncia, Ruby, e descobre que ele anda escrevendo fanfics, algumas delas er√≥ticas, sobre ambos. Diante disso, Ange tem cerca de 1 m√™s para descobrir como lidar com essa situa√ß√£o, pois inevitavelmente encontrar√° Ruby na Festa de Halloween. Ambos os personagens s√£o arromanticos e n√£o bin√°rios tamb√©m e Ruby √© intersexo, apesar desses pontos n√£o serem centrais acho importante falar sobre, pois s√£o elementos importantes pra hist√≥ria, principalmente no que diz respeito a reflex√Ķes sobre o corpo e ao olhar sobre esses corpos.

O “Festa de Halloween” foi pra colet√Ęnea Espectros de Roxo e Cinza, que s√£o contos sobre assexualidade. Mas voc√™ tamb√©m participou da colet√Ęnea Fantasiaro. Qual foi o seu conto?

Em FantasiAro escrevi o conto √Āguas de Esperan√ßa! Esse tem uma pegada totalmente diferente de Festa de Halloween, √© uma hist√≥ria de fantasia bem met√°forica com uma sereia e um pirata, ambos aroace e ambos vivenciando situa√ß√Ķes bem parecidas mas ainda assim totalmente diferentes. A sereia vive em uma sociedade familiar bem fechada, uma bolha mesmo, e composta apenas por sereias canibais que seguem tradi√ß√Ķes e regras bem estabelecidas, mas que ela n√£o consegue seguir. Em nenhum momento √© dito evidentemente que essa sereia √© aroace e que as outras sereias s√£o allo, mas o que eu queria era justamente pegar a sensa√ß√£o de se sentir deslocado de uma norma que o tempo todo as pessoas est√£o nos cobrando de seguir. J√° o pirata, vive nessa mesma situa√ß√£o de press√£o social, s√≥ que em rela√ß√£o as cobran√ßas da masculinidade sobre as pessoas AMAB aroace. Tenho um carinho imenso por esse conto e muito orgulho de ter escrito ele. N√£o foi f√°cil o processo, mas pelos feedbacks que tenho a mensagem de esperan√ßa foi passada e √© isso que importa!

Você costumava fazer resenhas de livros. Você ainda faz ou focou mais na escrita autoral?

Acabei deixando de lado o instagram liter√°rio que eu tinha, mas n√£o foi para focar mais na escrita autoral rsrs Ainda escrevo resenhas de quase todos os livros que leio na Amazon e as vezes no Skoob tamb√©m, mas n√£o tenho mais tempo h√°bil para administrar um bookgram e lidar com todos os estresses que envolvem os algoritmos das redes sociais e como os conte√ļdos nem sempre s√£o entregues. No fim, ficava muito desgastada e frustrada, o que me desmotivava a seguir com a conta. As vezes me d√° vontade de voltar, pois tive muitas trocas interessantes por l√°, mas a faculdade tamb√©m tem me impedido at√© de escrever ultimamente.

Você está escrevendo algo atualmente?

No momento estou apenas pensando em uma ideia espec√≠fica relacionada a um romance que comecei em 2020 e nunca terminei. Por conta da faculdade, n√£o tenho muito tempo pra escrever, ent√£o quando estou em aula geralmente fico apenas pensando e planejando na cabe√ßa e em algumas anota√ß√Ķes a hist√≥ria que eu quero escrever nas pr√≥ximas f√©rias ou no pr√≥ximo feriad√£o que vier. Mas posso adiantar que, se eu realmente voltar a essa hist√≥ria que estava na gaveta, vem a√≠ uma fantasia urbana de s√°ficas contra a institui√ß√£o familiar.


Acompanhe Lori Amethista: