The High Suicide Rate in the LGBTQIAP+ Community

ūüĆź Translation in progress

‚ö†ÔłŹ Aviso: o texto a seguir cont√©m relatos de lgbtqfobia e suic√≠dio.

Considerado uma quest√£o de sa√ļde p√ļblica, o suic√≠dio ainda √© um tabu em nossa sociedade. Entretanto, √© algo complexo e deve ser debatido. Entre os jovens de 15 a 29 anos, o suic√≠dio √© a quarta causa de morte mais recorrente, atr√°s de acidentes no tr√Ęnsito, tuberculose e viol√™ncia interpessoal.

Segundo dados da Organiza√ß√£o Mundial da Sa√ļde, entre 2000 e 2019, a taxa global diminuiu 36%. No mesmo per√≠odo, nas Am√©ricas, as taxas aumentaram 17%. 

Esses n√ļmeros tomam propor√ß√Ķes assustadoras ao fazer o recorte de sexualidade e g√™nero. Levando em considera√ß√£o fatores demogr√°ficos, pesquisadores descobriram que o risco de suic√≠dio √© de tr√™s a seis vezes maior para pessoas LGBTQIA+ do que para pessoas adultas CHAPs, em todas as faixas et√°rias e categorias de ra√ßa/etnia.

Isso pode ser explicado pela teoria do minority stress (estresse de minorias, em portugu√™s). Ela prop√Ķe que estresses sofridos de forma cr√īnica por minorias, em decorr√™ncia de uma vida inteira de n√£o-aceita√ß√£o, rejei√ß√£o, discrimina√ß√£o, estigma e viol√™ncia, contribuem para que essa popula√ß√£o tenha risco aumentado em sua sa√ļde f√≠sica e mental em rela√ß√£o ao restante das pessoas. 

Interven√ß√Ķes poss√≠veis

Compreens√£o

Normalizar a educação sobre sexualidades e gêneros e entender ês alunes LGBTQIA+ é o primeiro passo para a prevenção do suicídio. A criação de um ambiente de apoio e culturalmente diverso é crucial para a aceitação social em um ambiente educacional.

Redução de danos

Seja em casos de suic√≠dio, abuso de drogas ou auto-agress√£o, uma abordagem de redu√ß√£o de danos √© essencial. Uma mudan√ßa radical pode ter efeitos graves, portanto,  diminuir comportamentos prejudiciais √© um dos primeiros passos para a recupera√ß√£o do indiv√≠duo. 

Recursos e referências LGBTQIA+

Estudos mostram que conselheiros e professores precisam ser treinados em autoconhecimento, sexualidade e diversidade sexual consigo mesmos e com √™s alunes. Pesquisadores tamb√©m sugerem convidar pain√©is de pessoas LGBTQIA+ de faculdades ou universidades para conduzir discuss√Ķes em sala de aula. A educa√ß√£o e pessoas de refer√™ncia s√£o potencialmente essenciais para ajudar estudantes e fam√≠lias LGBTQIA+.


Referências: