Spacey Recommends – Mary Abade

ūüĆź Translation in progress

Mary Abade (@marysabade) é uma escritora e ilustradora tocantinense e lésbica que escreve sobre garotas que amam garotas.

Colagem das capas de v√°rios livros da Mary, sendo "De outro planeta", "Predador natural", "Amor perfeito", "A origem de G√™nesis", "Manual para garotas (que gostam de garotas)", "224¬į dia em terra firma" e "Am√©lia Lobos". Junto deles, um bottom com a bandeira l√©sbica.

“N√£o sei se realmente cheguei l√°, mas √© uma sensa√ß√£o reconfortante saber que as pessoas gostam tanto [‚Ķ] e que at√© j√° reconhecem o meu estilo.”

Qual foi a sua inspiração para se tornar uma escritora?

Sendo sincera, nunca tive uma inspira√ß√£o para ser o que eu sou. Eu sempre fui, mas h√° algumas inspira√ß√Ķes que me motivaram a continuar sendo escritora: a Julia Braga e a Mary Muller, que publicavam no Wattpad, e a Thalita Rebou√ßas ‚ÄĒ que eu amava ler quando mais nova na biblioteca do col√©gio.

Como é o seu processo criativo? Você planeja tudo antes de começar a escrever ou deixa a história fluir naturalmente?

Normalmente faço um rabisco: planejo ideias principais, escrevo prováveis plot twists e um pouco da personalidade de cada personagem. Tento captar a essência, que não deve se perder em nenhuma hipótese. Já fui do tipo que faz escaleta de cada capítulo, mas percebi que tudo acabava indo para o lixo ao decorrer da trama.

Al√©m da escrita, voc√™ tamb√©m √© ilustradora. Qual a sua parte favorita em fazer ilustra√ß√Ķes para capas?

Quando eu tinha lááá pelos 12 anos, eu já escrevia na internet e meu sonho era ter capas bonitas!!! Sério, talvez fosse uma das minhas principais metas. Escrever bem? Minha versão pré-adolescente não pensava nisso. Eu tinha referências que eu AMAVA e ficava imaginando como seria ter uma capa tão legal assim. Desde então, caminhei muito para aperfeiçoar meu trabalho em relação a isso e ter a mesma sensação que eu tinha. Não sei se realmente cheguei lá, mas é uma sensação reconfortante saber que as pessoas gostam tanto delas e que até já reconhecem o meu estilo.

Suas obras se dividem entre a Amazon e o Wattpad. Qual critério você usa para escolher onde publicar cada uma?

Para ser sincera? At√© o momento todos os meus trabalhos publicados na Amazon foram contos. Minha ideia inicial era uma degusta√ß√£o da minha escrita, j√° que meus livros normalmente s√£o grandes e s√£o escritos para um formato web espec√≠fico ‚ÄĒ o de postagens no Wattpad! Instigar leitores a continuar lendo!

Quais s√£o os seus maiores desafios e recompensas como escritora?

Dentre v√°rios, sou uma ameba social. Apesar de crescer no Wattpad ter me ajudado muito a ser o tipo que sabe interagir com leitores, tenho uma certa dificuldade em estar sempre online e ser uma m√°quina de divulga√ß√£o. Sempre que fico mais off, sou atormentada pelo fantasma do esquecimento. √Č bem chato, mas em contrapartida h√° uma sensa√ß√£o satisfat√≥ria de voltar e ver que ainda tem muita gente ali. Tenho leitores que se mant√©m desde que comecei a escrever livros s√°ficos, leitores que chegaram agora e j√° se sentem em casa e os que agora s√£o meus amigos. Sei que estou no caminho certo quando recebo mensagens, seja com um elogio, um “voc√™ evoluiu tanto desde quando te conheci” ou uma amea√ßa por hist√≥rias novas.

Qual é o seu livro favorito entre os que você escreveu? Por quê?

Todo mundo fica indignado que eu confesso na cara dura, mas o meu favorito é Garotas de Pizza. Mesmo com alguns defeitos da época, ele veio em um momento importante e existem muitas cenas que eu sou muito realizada por ter escrito. Gosto tanto dele que até escrevi outro livro no mesmo universo, Predador Natural (que é, por tabela, meu segundo favorito!).

Quais são os seus projetos atuais ou futuros? Você pode nos dar alguma prévia ou spoiler?

N√£o sou uma mulher de palavra, acho que n√£o posso sugerir nada antes da hora ou cai por terra (s√©rio, tenho um hist√≥rico). Mas ultimamente ando rabiscando um YA in√©dito engra√ßadinho, terminando de escrever meu guilty pleasure e mais um bocado de coisinhas legais.

Que conselho você daria para alguém que quer se tornar escritore?

Termine a história. Mesmo que pareça um lixo, termine. Há um certo tipo de evolução que você só consegue ao continuar escrevendo. Todo escritor precisa de livros ruins antes do bom. Molda caráter (e tu sempre pode revisitar o livro mais tarde).


Siga Mary Abade: