Agênero

Com o crescimento do movimento não-binário por todo o mundo e o frequente descontentamento da população queer com o binarismo de gênero, diversas identidades surgiram, buscando representar a experiência de cada indivíduo; dentre essas, temos o termo agênero, que representa todas as pessoas que não se identificam com um gênero.

O termo começou a ser usado no ano 2000, em um fórum no qual ê usuárie se referia à uma figura divina como sendo agênero (sem gênero); entretanto, as experiências e características dessa identidade são bem mais velhas, podendo ser encontradas por toda a história.

Definição

O termo agênero, significa “sem gênero”, tomando o prefixo “a-” como uma negação ou falta de (gênero). Ele se encontra dentro do extenso guarda-chuva da não-binariedade e da transgeneridade, muitas vezes sendo um tema de debate por conta da ”falta de gênero” ser considerada um gênero (se tornando, então, um paradoxo).

Pessoas agêneros podem descrever seu “gênero” de diversas formas, tais como:

  • Falta de gênero;
  • Gênero neutro;
  • Desconhecem o próprio gênero e/ou não possuem interesse em descobrir;
  • Não desejam descrever o próprio gênero;
  • Não se identificam com nenhum gênero;

Elas também podem utilizar qualquer pronome, ser de qualquer orientação e se apresentar de qualquer forma. Há também outros termos que buscam descrever com uma maior precisão a “ falta de gênero” de cada pessoa, como, por exemplo, agenderflux; apogender; genderblank; genderfree; gendervoid, etc.

Bandeira

A bandeira agênero foi criada em 14 de fevereiro de 2014, no Tumblr, pele user Salem (They/She).

A bandeira possui 7 faixas horizontais. A faixa central é verde, sendo seguida por faixas brancas, cinzas, e as extremas são pretas.
Bandeira Agênero

Tendo como significados: o preto e o branco sendo a ausência de gênero, o cinza sendo a semi-ausência de gênero e o verde representando a não-binariedade.

Há também o símbolo de conjunto vazio (ø), utilizado na matemática, que foi adotado por algumes agêneros, dentre outros símbolos que buscam representar a falta de gênero e o distanciamento da binariedade.

Conclusão

A comunidade agênero ainda é muito nova quando comparada com outras comunidades, porém aqui no Brasil temos o caso de Ian Domingues, que em 2021 ganhou o direito de ser reconhecide como agênero. Isso é a prova de que a luta por reconhecimento dá frutos, e é necessário buscar a inclusão cada vez mais na sociedade.

Por fim, é importante lembrar que o termo que uma pessoa usa para descrever a sua experiência de gênero diz respeito apenas à forma como ela se identifica, sente e expressa.


Referências:

Compartilhe: