Neurodivergência no Brasil

Neurodiversidade é uma palavra relativamente recente, tendo surgido em fóruns e listas de e-mail nos primórdios da internet durante os anos 90 em países como Estados Unidos, Canadá e Reino Unido. O termo se refere à diversidade neurológica, ou seja, à diversidade em relação ao desenvolvimento/formação do cérebro de cada pessoa. Apesar de 2 cérebros não se desenvolverem de maneira 100% igual, podem apresentar características semelhantes entre si. Essas características agrupadas formam dois grupos: neurotípicos e neurodivergentes.

Ler mais

“Graus de autismo”?

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é descrito como tal a partir da publicação do DSM-V (Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais, 5ª edição), agora agrupando diversos transtornos que eram diferenciados no DSM-IV, como o Autismo Infantil Precoce, o Transtorno Desintegrativo da Infância, o Asperger e outros, conforme o grau de severidade. Segundo o DSM-V, “As características essenciais do transtorno do espectro autista são prejuízo persistente na comunicação social recíproca e na interação social (Critério A) e padrões restritos e repetitivos de comportamento, interesses ou atividades (Critério B). Esses sintomas estão presentes desde o início da infância e limitam ou prejudicam o funcionamento diário (Critérios C e D)”.

Ler mais

Disforia Sensível à Rejeição

A Disforia Sensível à Rejeição é um sintoma não-oficial, considerado comorbidade de certas neurodivergências, em especial o TDAH e o autismo, é um padrão de comportamento que surge nessas pessoas através da desregulação emocional que essas vivenciam. Apesar de também ser confundida com certos transtornos de personalidade e de humor pelas grandes semelhanças em seus sintomas, acredita-se que pessoas com esses transtornos também possam vir a experienciar esse padrão de comportamento.

Ler mais

O Holocausto Brasileiro

O Hospital Colônia de Barbacena (Minas Gerais) foi o maior hospício do Brasil, sendo palco durante o século XX (20) de inúmeros casos de negligência e abuso sistematizado, levando à morte de 60 mil pessoas. O nome “Holocausto brasileiro” foi dado pela jornalista Daniela Arbex, que publicou, em 2013, um livro homônimo contendo relatos de diversos envolvidos. O caso do Hospital Colônia é um grande exemplo do descaso social e dos sistemas que exploram a vulnerabilidade de indivíduos marginalizados ou que não gozam de amplo direito, autonomia e voz. 

Ler mais