Battle-Axe Bisexual

Battle-Axe Bisexual, encurtado para BAB, é um movimento que surgiu no tumblr em busca de firmar uma luta pelos direitos da comunidade bissexual, visando combater a bifobia e corrigir desinformações e definições erradas. Sendo Bab a nomenclatura mais comum, também é possível se deparar com o termo Band-Aid Bisexual, ou BanBi.

Contrariando a pessoa que criou o termo, a organização muito rapidamente passou a acolher discursos exclusivistas ou no mínimo muito perigosos, menosprezando diversas orientações e identidades.

Entre os ideais do grupo, o principal é a crença de que qualquer pessoa que se atraia por mais de um sexo — e não gênero — é bissexual, o que traz dois tipos de problemas: a invalidação de outras multissexualidades, tais quais pan, omni e poli, e a cisnormatividade, pendendo também para o transmedicalismo.

Apesar de o foco do movimento Bab girar em torno da suposta bifobia na existência de outras multissexualidade, é também bem comum a exclusão de pessoas assexuais e arromânticas, não-binárias e xenogênero, aproximando Bab do movimento anti-mogai. Os discursos, semeados de ataques de ódio, ameaças e cyberbullying, foram normalizados a ponto de ser criado um subgrupo denominado Bloodshed Bisexual, caracterizado pelos ataques.

Ainda que tudo seja voltado às identidades fora da sigla LGB, gays e lésbicas também não estão livres das opressões por parte desse grupo. É bem comum, por exemplo, a diminuição de pessoas gays que não utilizam pronomes masculinos e das pessoas lésbicas que não utilizam pronomes femininos.

Em sumo, Bab transitou rapidamente de uma ideia incrível e importante para uma comunidade extremamente tóxica e agressiva, colecionando invalidações com argumentos rasos e mal estruturados.

Hoje, existem movimentos bissexuais que possuem o mesmo objetivo, porém agem de maneiras menos agressivas com as demais orientações multis, pois compreendem que o espectro multi é vasto e cada parte dela importa.

Essas organizações provam que é possível combater a bifobia sem atingir outros grupos e sem menosprezar nenhuma identidade ou orientação. Certos tipos de discursos servem apenas para munir a sociedade e contribuem com a lgbtfobia, que, lembrando, afeta a todes, não apenas a quem se identifica com rótulos mais conhecidos. Precisa-se compreender que a comunidade está em constante mudança e crescimento, e que o surgimento de novas identidades — ou a maior visibilidade de antigas — é resultado da luta LGBTQ+ por aceitação e diversidade, e ir contra esse conceito é ferir o objetivo da comunidade.

Compartilhe: