Arromanticidade

Assim como há uma construção exigente a respeito do sexo e de como ele molda toda a sociedade, existe uma norma se impondo sobre relacionamentos e romance. A arromanticidade vai de encontro a esse modelo perfeito do amor passional, acolhendo orientações definidas por diferentes níveis de atração romântica.

Por que o amor romântico é tão importante?

Em uma sociedade onde tudo sofre um “processo” de pré-julgamentos, o amor romântico é, infelizmente, mais uma das coisas nesta lista de erros.

Em programas de TV, livros, revistas e outras maneiras de informação, há propositalmente a imposição de que se atrair romanticamente por alguém, em algum momento da vida, é algo extremamente necessário. E, quando uma pessoa se afasta desse núcleo, ela certamente se torna alvo de pena.

O nome disso é amatonormatividade, em que um cenário sem romance passa a ser distópico apenas por este detalhe supostamente crucial. Mas o que muitos destes veículos, e pessoas que fazem parte deles, ignoram é que existem pessoas assexuais e/ou arromânticas, e elas podem viver totalmente felizes sem relacionamentos deste tipo.

Grande parte dessa exigência também é vinda de um pensamento primitivo de que a atração humana é uma coisa só, quando, na verdade, é um grupo.

Um grupo? Atrações separadas?

A atração romântica é um dos 5 principais tipos de atrações comentadas entre as comunidades assexual e arromântica. São elas: atração platônica, estética, sensorial, sexual e romântica.

E o que a caracteriza é, em poucas palavras, como essa atração conversa sobre a vontade de se relacionar romanticamente com alguém — podendo envolver o desejo de incluir ou não experiências sexuais a essa relação.

Nem sempre as atrações podem ser condizentes: há pessoas arromânticas gays, arromânticas lésbicas, arromânticas bissexuais, arromânticas pansexuais, arromânticas assexuais e até arromânticas heterossexuais. Isso não as torna menos arromânticas.

Então, o que é a arromanticidade?

A arromanticidade é o espectro que agrupa os diferentes tipos de orientações românticas, seja ela nula, parcial ou condicional.

Dentro deste espectro, podemos encontrar a arromanticidade estrita — para pessoas que não se sentem romanticamente atraídas por ninguém, em nenhum nível ou circunstância; e a área cinza — onde várias outras orientações românticas acolhem as distintas maneiras de vivenciar este tipo de atração. Uma identidade na área cinza é descrita pela possibilidade de experienciar a atração romântica por alguém, mas nunca como alguém alloromântique. Ela pode existir por um período condicional; estar presente constantemente, mas em baixa intensidade; em picos momentâneos; e se tornar inexistente por um longo tempo.

A partir do momento em que entendemos a definição de arromanticidade, podemos reconhecê-la como um termo guarda-chuva. Independentemente de onde se encontram no espectro, todas as pessoas arromânticas são igualmente válidas.

Pessoas arromânticas podem namorar!

Estar no espectro arromântico não impede uma pessoa de buscar um relacionamento, seja ele romântico ou não. Assim como não a impede de transar ou beijar e não a transforma em alguém sem coração ou sem sentimentos.

Uma coisa muito comum entre pessoas na comunidade arromântica (e assexual também) é o relacionamento queerplatônico, no qual há uma ligação profunda entre as partes, além de uma amizade e a não-necessidade da atração sexual e/ou romântica. Cada relacionamento discute seus próprios termos.

Este tipo de relação é mais comum entre pessoas da comunidade aroace (arromântiques e assexuais), mas também pode acontecer entre alloromântiques e allosexuais.

Agora que sabemos sobre arromanticidade, vejamos alguns símbolos importantes para a comunidade:

A Bandeira – Foi idealizada em 2014, por um usuário no Tumblr, cameronwhimsy.

A bandeira consiste de 5 faixas horizontais, sendo, de cima para baixo, verde, verde claro, branco, cinza e preto

É composta por 5 faixas horizontais, ela tem as cores:

Verde, cor contrária ao rosa, muitas vezes associada ao amor romântico; verde claro, representa o espectro arromântico como um todo; branco, para as relações platônicas e sua importância; cinza e preto, fazendo menção às pessoas arromânticas assexuais e não-assexuais.

Flechas – Como um trocadilho para “arrow”, flecha em inglês, já que a abreviação de arromântique é “aro”.

Torta de Limão – Escolhida como uma referência ao bolo, um símbolo da comunidade assexual, a torta de limão está associada ao estereótipo de pessoas arromânticas serem azedas como a fruta, mas que na torta se torna doce. E, também, por seu tom amarelado, se relaciona à cor do amor platônico e amizade.

O Anel Branco – Uma maneira sutil de sinalizar as pessoas que você é arromântique. Ele é usado no dedo médio da mão esquerda.


Referências: